HG realiza neste sábado mutirão de histerectomia (remoção do útero)

O Hospital Geral e Maternidade de Cuiabá (HG) realizou neste sábado (01), o mutirão de histerectomia, que tem como objetivo diminuir a fila de espera de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS).

Somente neste sábado foram atendidas 10 pacientes que passaram pela cirurgia eletiva de histerectomia (retirada do útero e ovários). Elas aguardavam há muito tempo na fila de espera do SUS.

Os procedimentos foram realizados pelo Departamento de Ginecologia e Obstetrícia com os especialistas, Dr. Antonio Figueiredo, Dr. Dalton Ferreira e Dr. Marcondes Serra.

As principais indicações para a retirada do útero são: miomas uterinos, endometriose, adenomiose, câncer do colo do útero em estágio avançado, câncer de endométrio (corpo do útero), sangramentos disfuncionais sem melhora com tratamento clínico, hemorragias obstétricas incontroláveis, prolapso uterino, infecção pélvica acentuada.

Segundo o diretor clínico do HG, Dr. Antonio Figueiredo as pacientes beneficiadas atendem aos critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde para este tipo de procedimento.

De acordo com a  Associação Brasileira de Obstetrícia e Ginecologia, a histerectomia atualmente é a segunda cirurgia mais realizada no mundo. No Brasil, aproximadamente 200 mil mulheres por ano se submetem à cirurgia.

Dr. Antonio explica que a histerectomia é uma das maiores demandas que o SUS tem e hoje foram operados alguns dos casos mais urgentes que estavam na fila de espera. "Esperamos com esse mutirão diminuir um pouco o drama das pessoas que há anos aguardam por uma solução dos problemas de saúde”, ressaltou o médico.

O ginecologista completou dizendo que existem duas indicações clássicas para a histerectomia que são nos casos de miomas com sangramentos que não são controlados com medicação e nos casos de miomas com volumes muito aumentados, com chance de compressão de outros órgãos e que causam sintomas como dificuldade para evacuar ou urinar.

Sobre a indicação da histerectomia para tratamento do câncer, Dr. Antonio explicou que para o câncer de colo do útero a cirurgia só é tratamento nos casos bem iniciais. No câncer do revestimento do útero em quase todos os estágios ela é indicada e para o câncer de ovário é necessário tirar os dois ovários e fazer a histerectomia. "A cirurgia da histerectomia não deve ser feita por opção e sim por necessidade", finalizou.

Fonte: Soraya Medeiros

Fonte: Soraya Medeiros

Convênios

Newsletter

CADASTRE-SE E RECEBA ARTIGOS E NOTÍCIAS SOBRE O HOSPITAL, SAÚDE E BEM-ESTAR.